Biodiesel

O Grupo Caramuru opera três unidades de produção de biodiesel, duas em Goiás e uma em Mato Grosso, com capacidade para processar 545 milhões de litros por ano, gerando mais de 150 empregos diretos e mil indiretos.

Nossas unidades são integradas ao Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB), do Governo Federal, prestando prestando assistência técnica a 886 agricultores de perfil familiar em 2016.

O biocombustível é derivado de biomassa renovável, produzido a partir de óleos vegetais, principalmente da soja, e contribui para a substituição total ou parcial de combustíveis derivados de petróleo e gás natural em motores à combustão, por fontes de energia limpas e renováveis.

Depois que a planta passa pelo processo químico de transesterificação, o óleo vegetal se torna compatível com os motores a diesel. Comparado ao combustível derivado do petróleo, o biodiesel possui teor de enxofre mais de 100 vezes menor, e emite na sua queima, em média, 48% menos monóxido de carbono, 67% menos hidrocarbonetos e 47% menos material particulado (que penetra nos pulmões). Seu ponto de fulgor também é superior, permitindo condições de transporte e armazenamento mais seguras e confiáveis.

A Caramuru iniciou sua produção de biodiesel em 2006, com a instalação da unidade de São Simão, em Goiás. Na época, foram investidos R$ 42,8 milhões, financiados pelo BNDES. Dois anos depois, com a aplicação de mais R$ 12 milhões, foi feita a ampliação de sua capacidade, totalizando 225 milhões de litros anuais.

Em 2010, também com o apoio do BNDES, o Grupo empregou R$ 54 milhões nas obras de implantação da unidade industrial de Ipameri, que produz 625m³ de biodiesel por dia e 225 milhões de litros anuais.

Em 2016, o Grupo finalizou, em Sorriso, a instalação da sua terceira unidade de produção de biodiesel, a partir de óleos vegetais e gorduras animais. A unidade, com capacidade para processar 95,7 mil metros cúbicos de biodiesel por ano, entrou em operação em 2017.

Conheça algumas repercussões positivas desse investimento:

  1. Promoção do desenvolvimento sustentado no interior do país.
  2. Aumento da atividade da Agricultura Familiar.
  3. Geração de renda com a introdução de novas culturas.
  4. Produção de combustível renovável e genuinamente nacional, gerando substituição gradativa de derivados de petróleo.
  5. Diminuição da emissão de poluentes no ar.
  6. Combustível com teor de enxofre mais de 100 vezes menor em comparação ao óleo diesel tradicional.
  7. Ponto de fulgor superior ao do óleo diesel, proporcionando condições de transporte e armazenamento mais seguras e confiáveis.
  8. Melhor qualidade na combustão em função de maior índice de cetanos, que gera uma queima completa e contribui para menor emissão de gases poluentes.